FAQS

1 - "Livro Blanco de la Homéopatia", Catédra Boiron de Homeopatia.
2 - Estudo Ipsos "A Homeopatia e os franceses", realizado em Janeiro de 2012 de uma amostra representativa de 1.005 pessoas.
PERGUNTAS-RESPOSTAS

1) Conhecer melhor a homeopatia

O que é a homeopatia?

Para a Boiron, antes de tudo trata-se de medicamentos: - Para a Boiron, antes de tudo trata-se de medicamentos:
- Registados junto das autoridades de saúde e que respondem a normas farmacêuticas de qualidade;
- Prescritos e aconselhados por profissionais de saúde (médicos, parteiras, farmacêuticos…);
- Utilizados por cerca de 300 milhões de pessoas no mundo.(1)
Em França, 56% dos franceses recorrem aos medicamentos homeopáticos, ou seja, uma pessoa em cada duas.(2)

Como se apresentam os medicamentos homeopáticos?

A forma emblemática do medicamento homeopático é o tubo de grânulos.
Com efeito, os tubos e as doses que contêm os grânulos e os glóbulos são as formas características da homeopatia. Mas não são as únicas: muitos medicamentos homeopáticos também estão disponíveis em xarope, comprimidos, gel, pomada, colírio, etc…
Independentemente da forma farmacêutica dos medicamentos homeopáticos, o seu fabrico é submetido às exigências de qualidade e fiabilidade.

Quem prescreve os medicamentos homeopáticos?

Os medicamentos homeopáticos são prescritos por profissionais de saúde formados nessa prática: o médico de clínica geral ou o especialista mas também o farmacêutico.
Desde Outubro de 2011, em França, uma parteira tem o direito de prescrever medicamentos homeopáticos para patologias ligadas ao parto.

O que se trata com homeopatia?

Os medicamentos homeopáticos são úteis na maior parte das patologias do quotidiano.
Oferecem soluções concretas em muitos campos aos profissionais de saúde: Otorrinolaringologia, ginecologia, pediatria, dermatologia, etc. São muitos os médicos (de clínica geral e especialistas), parteiras, dentistas, veterinários que recorrem ao seu uso.
Os medicamentos homeopáticos também são cada vez mais indicados para ajudar doentes com cancro a suportar melhor os efeitos indesejados do seu tratamento ou da sua doença: tratam-se então de cuidados de suporte.

Podemos automedicarmo-nos com homeopatia?

Não há apenas uma única maneira de se tratar com medicamentos homeopáticos. Em alguns casos, um médico formado em homeopatia poderá prescrever-lhe um tratamento adaptado à sua situação específica: de acordo com os sintomas, mas também com o seu historial clínico, com a sua sensibilidade, etc. Noutros casos, pode-se recorrer a automedicação. Com o aconselhamento de um farmacêutico, a homeopatia pode oferecer uma solução fiável, rápida e adaptada às circunstâncias. Existem nomeadamente determinados medicamentos homeopáticos destinados ao uso familiar, fáceis de usar e adaptados a patologias do dia-a-dia. Em caso de dúvida, ou se os sintomas persistirem, deverá consultar o seu médico ou farmacêutico.

Em que casos um médico indica medicamentos homeopáticos?

O médico pode prescrever medicamentos homeopáticos numa situação dita "aguda", isto é, para tratar uma doença que ocorre repentinamente e ocasionalmente. Neste caso, o tratamento é prescrito para algumas horas ou dias. O médico também pode recorrer aos mesmos para doenças recorrentes, isto é, que reaparecem regularmente; tais como alergia ao pólen, enxaqueca, reumatismo, herpes, etc. O médico prescreve então um tratamento durante um período mais longo, procurando reduzir ou mesmo eliminar o número, a duração e a intensidade das crises.
Em todos os casos, o médico irá escolher um tratamento adaptado ao doente e ao seu modo específico de reagir à doença.

Os medicamentos homeopáticos são úteis para doentes com cancro?

A homeopatia não cura o cancro. No entanto, para complementar os tratamentos convencionais, é (entre outros métodos de tratamento) um recurso valioso para melhorar a qualidade de vida dos doentes. Prescritos ou indicados por um profissional de saúde, os medicamentos homeopáticos podem ajudar os doentes a tolerar melhor os efeitos secundários da doença ou dos tratamentos (quimioterapia ou radioterapia, por exemplo). Denominam-se cuidados de suporte em oncologia.
Segundo um estudo realizado em França em 2010, em 18 centros de saúde, 60% dos doentes com cancro usam medicinas complementares. Entre eles, 1 em cada 3 doentes revela usar medicamentos homeopáticos.

Mulheres grávidas, crianças, idosos: a homeopatia, é para quem?

Os medicamentos homeopáticos dirigem-se a todos. Os médicos de clínica geral ou especialistas integram-nos na sua prática clínica porque são úteis em muitas áreas: medicina geral, pediatria, otorrinolaringologia, alergologia, ginecologia...
Portanto, um medicamento homeopático pode ser prescrito ou aconselhado a adultos, a crianças bem como a idosos.
As mulheres grávidas também podem ser tratadas com homeopatia. No entanto, têm que ter cuidado ao respeitar a prescrição e precauções de uso indicadas na embalagem ou no folheto informativo.

Podemos tratar os animais com homeopatia?

Há mais de 150 anos que a homeopatia é usada para tratar animais:
- Animais de estimação, tais como cães, gatos ou novos animais de estimação;
- Animais de criação: vacas, cabras, ovelhas, porcos, aves, coelhos...
Os veterinários são formados em homeopatia e os criadores também integraram a utilização de medicamentos homeopáticos para a sua criação: não-tóxicos para o animal, não deixam resíduos no leite ou carne. Aliás, os sectores de certificação em agricultura biológica recomendam o uso da homeopatia na sua lista de especificações.

2) Os medicamentos homeopáticos: instruções

Onde posso encontrar medicamentos homeopáticos?

Em Portugal, os medicamentos homeopáticos Boiron estão apenas disponíveis nas farmácias. O farmacêutico conhece-os e pode aconselhá-lo. Se quiser ter alguns medicamentos homeopáticos na sua farmácia de casa, as especialidades Boiron e alguns medicamentos unitários podem ser muito úteis para a saúde do dia-a-dia. Consulte o seu farmacêutico.

Os medicamentos homeopáticos são compatíveis com outros medicamentos?

O seu médico, farmacêutico ou a sua parteira podem prescrever um tratamento homeopático, isoladamente ou em combinação com outros medicamentos. É importante seguir as suas recomendações e pedir conselho em caso de dúvida.

Como ler o rótulo de um tubo homeopático?

A “estirpe” ou cepa designa a matéria-prima utilizada como base do medicamento homeopático. É enunciada em latim, o que permite aos médicos do mundo inteiro identificar os medicamentos facilmente e com precisão. Uma das características do medicamento homeopático é ser diluído. O número (9 no exemplo abaixo) indica o nível de diluição. Neste exemplo, 9 CH significa que a matéria-prima foi diluída 9 vezes ao centésimo (1 gota de matéria-prima em 99 gotas de solução hidroalcoólica). As letras CH significam Centesimal Hahnemann, ou seja, o método de diluição desenvolvido pelo Dr. Hahnemann, fundador da homeopatia.

Como tomar o meu medicamento homeopático?

Os medicamentos apresentados em tubos ou doses (grânulos e glóbulos), tomam-se por via oral fora das refeições e têm que se deixar dissolver na boca:
- Os grânulos tomam-se geralmente 5 de cada vez e várias vezes durante o dia.
- A dose de glóbulos deve ser tomada por inteiro de uma só vez.
A duração do tratamento homeopático e o número de tomas estão indicadas na prescreve médica e/ou no folheto informativo do medicamento. Em todos os casos, deve respeitar a prescrição do médico ou os conselhos do farmacêutico.

Como dar os grânulos a um bebé?

Para o bebé que ainda não se alimenta à colher, os grânulos (ou glóbulos) devem ser dissolvidos num pouco de água, num biberão ou num copo.
Uma vez que o uso da colher é adquirido, pode dar os grânulos para chupar com o contador de grânulos e o conteúdo das doses com uma colher de chá, em várias vezes.
É preferível dar os grânulos ou glóbulos antes das refeições.
Dica para os pais:
Para poupar tempo, o número total de grânulos a dar durante o dia pode ser diluído de uma só vez num biberão de água e, em seguida, administrado ao bebé o número de vezes indicado pelo médico.
Se dissolver os grânulos num copo, é mais fácil de administrar o líquido com uma pipeta.

Porque é que alguns medicamentos não têm indicação terapêutica ou posologia, ou folheto informativo?

Em homeopatia, existem duas famílias de medicamentos.
- Alguns medicamentos homeopáticos não têm qualquer indicação terapêutica ou posologia escrita, ou folheto informativo. O motivo? Em homeopatia, o mesmo medicamento pode tratar diferentes patologias (problemas digestivos e insónia, por exemplo) e uma mesma doença (constipação) pode ser tratada com medicamentos diferentes, escolhidos em função do doente. Cabe ao profissional de saúde determinar quais os que deve tomar e como. Estes medicamentos sem indicações terapêuticas escritas apresentam-se habitualmente em tubos e doses (formas tradicionais de homeopatia) e são designados pelo seu nome em latim.

- Outros medicamentos homeopáticos têm indicação terapêutica escrita. A sua composição (uma combinação de várias cepas/matérias-primas na maioria dos casos), foi desenvolvida para o tratamento de um determinado problema: constipação, tosse, afrontamentos, etc. Lendo o folheto informativo ou a embalagem, o doente consegue determinar em que casos será indicado toma-lo.
Estes medicamentos apresentam-se em tubos e doses mas também em comprimidos, gel, pomada, xarope, gotas para os olhos... Eles não usam um nome em latim, mas um nome de marca associado ao laboratório que os possui.